História

Linha do tempo de Andrés Sánchez

1963
Família
Andrés Sanchez Navarro nasceu em 24 de dezembro de 1963, na cidade de Limeira, interior do estado de São Paulo. Em 1964 foi morar na zona leste de São Paulo.
Andrés vem de uma família de imigrantes. Seus familiares, tanto maternos como paternos, são procedentes da província de Almeria, na região espanhola da Andalucía, e desembarcaram no Brasil na década de 50.

1969
Parque São Jorge
No dia 25 de fevereiro de 1969, o pai de Andrés tornou-o sócio do Corinthians e com ele toda a família, assim, com apenas seis anos, Andrés já frequentava o Parque São Jorge.

1972
A busca por oportunidades
Por dificuldades econômicas os pais de Andrés, com três filhos, fizeram o trajeto inverso, voltando para Espanha. O retorno ao Brasil se deu em 1974. Fixou residência na Vila Leopoldina e, posteriormente, na Vila dos Remédios.

1977
Trabalho e a paixão pelo futebol
Iniciou sua vida profissional ainda bem jovem. Aos 14 anos, Sanchez já trabalhava ao lado dos seus pais como feirante, inclusive aos finais de semana, no tradicional Sacolão da Ceasa. Foi nessa época que a paixão pelo futebol começou a falar mais alto. Sanchez superou a peneira no Corinthians, jogando na posição de lateral direito, na categoria chamada “Dentão”. Contudo, as dificuldades impostas pela distância e incompatibilidade de horário impossibilitaram a continuidade de Sanchez nos treinos. Em 1979, começou a jogar no time da várzea do Real Madrid, que ficava próximo de sua casa.

1981
Primeiro registro em carteira
Em 1981, teve o primeiro trabalho com registro em carteira na Distribuidora de Frutas Sánchez no Mercadão Municipal.

1983
Empresa de embalagens
Passou a dirigir a Sol Embalagens, empresa de embalagens plásticas no Ceasa de Campinas e, além de continuar com o esporte, integrou a diretoria da Assoceasa (Associação dos Permissionárias do Ceasa), primeiro como diretor e depois como presidente, realizando diversas  negociações com a prefeitura. Filiou-se ao PCdoB e ajudou na campanha vitoriosa de Jacó Bittar pelo PT a prefeito de Campinas.
Em 1994, morando em Pinheiros, em São Paulo, Andrés assume a direção da fábrica em Caieiras da Sol Embalagen, já com a empresa como líder na fabricação de embalagens flexíveis, chegando a contar com mais de 300 trabalhadores.

1996
Diretoria do Corinthians
Integra-se como diretor no trabalho das categorias de base do Corinthians, ajudando os pequenos e jovens atletas a se consolidaram no competitivo mundo do futebol. Em 1997, assume como diretor-adjunto do futebol de base e como membro do Conselho Deliberativo do Corinthians.

2000
Dedicação ao trabalho
Durante dois mandatos, Andrés foi dirigente da Associação Brasileira de Indústrias de Embalagens Flexíveis (ABIEF), elaborando as primeiras normativas para a fabricação de sacolas plásticas. Nessa época, acompanhou a construção, instalação e funcionamento da nova fábrica da Sol Embalagens na cidade de Camaçari, na Bahia.

2001
Fundação do Instituto Sol
Participou da fundação do Instituto Sol, que desenvolveu diversos projetos sociais, alguns deles em parceria com Cáritas, Pastoral da Criança e UNICEF.
No centro de Caieiras, instalou um consultório odontológico para atender gratuitamente aos funcionários e comunidades.
Também neste ano, Andrés foi nomeado conselheiro vitalício do Corinthians.

2003
Vira diretor de esportes terrestres do Corinthians.

2004
Lidera a constituição do grupo opositor “Renovação e Transparência” no Corinthians.

2007
Em outubro, é eleito presidente do Corinthians pelo Conselho Deliberativo para completar o mandato, mas não consegue evitar a queda do time para a Série B.

2008
O Corinthians volta à Série A. Aprova novos estatutos do clube com eleição direta e sem reeleição presidencial
É eleito presidente do Corinthians para um mandato completo.

2009
Contratação de Ronaldo Fenômeno, campeão paulista invicto e da Copa do Brasil. Se filia ao Partidos dos Trabalhadores.

2010
Comemoração do centenário do clube e inauguração do Centro de Treinamento Joaquim Grava.
Preside a delegação brasileira na Copa do Mundo 2010 na África do Sul.

2011
Início das obras do estádio do Corinthians em Itaquera, que passa a ser aprovado pela FIFA como local de abertura da Copa 2014.

2012
Finaliza o mandato na presidência.
Assume como diretor de seleções da CBF.
Em 2012 publicou, em co-autoria com seu primo Tadeo Sánchez Oller, seu livro autobiográfico “O mais louco do bando”, pela editora G7 Books.
Conquista medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres.
Pede demissão da CBF em novembro.

2013
Assume como responsável das obras da Arena Corinthians.

2014
Finaliza as obras da Arena.
Abertura da Copa do Mundo na Arena Corinthians.
E foi pensando em toda sua experiência de vida que renovou seu compromisso público, assumindo uma candidatura a deputado federal pelo PT, levando como prioridade, caso seja eleito, um mandato dedicado a projetos de inclusão social, que permitam melhorar as condições de vida da população brasileira, especialmente das camadas mais vulneráveis, como crianças, jovens, mulheres, idosos e as minorias étnicas e sociais. Também propõe um mandato de renovação do Congresso, apoiando iniciativas de reforma politica. Apoio aos projetos de desenvolvimento regional em áreas do estado, a exemplo do que vem sendo realizado na Zona Leste.

 

Google+